Viajar, comer e explorar! Parte 2

Viajar, comer e explorar! Parte 2

COMPARTILHE
/ 7402 0

Como prometido, o segundo texto da série de posts aqui do blog sobre destinos gastronômicos e suas curiosidades é sobre os destaques da culinária brasileira. Nosso país tem uma grandeza territorial que oferece belezas e delícias da mesa para todos os gostos e tipos de pessoas.

Dos mais tranquilos aos mais desbravadores – no caso das viagens – e dos mais conservadores aos mais curiosos – no caso das comidas –, todos conseguem combinar o destino que mais curtem com a cozinha que mais os agradam. E a gente vai ajudar nessa empreitada, dando algumas dicas curiosas e cativantes que podem ser encontradas nesse nosso Brasil.

E se você está achando que este é mais um texto que fala sobre os lugares e comidas mais comuns do país, você está enganado. Coloque seu melhor boot Timberland e embarque nessa aventura com a gente!

1 – Pará

Ilha de Marajó/PA (Crédito: Carlos Macapuna)

Nossa viagem começa no norte do país, onde as belezas naturais são tão encantadoras quanto a culinária. No Pará, por exemplo, é possível aproveitar riquezas naturais, como Alter de Chão, um balneário de águas doces de tirar o fôlego! Ou ainda fazer passeios em cima de um búfalo, na Ilha de Marajó, entrando em contato com uma parte da floresta amazônica praticamente intacta.

Entre uma jornada e outra, a dica é se deliciar com a Maniçoba, conhecida também como “a feijoada paraense”. O prato é uma iguaria indígena muito saborosa e que possui uma curiosidade: é feita a partir de folhas de maniva (ou mandioca), que devem ser moídas e cozidas, num processo que demora cerca de uma semana! Isso porque a planta possui ácido cianídrico, que é venenoso. Às folhas, adicionam-se carnes de porco e bovina e outros ingredientes defumados e salgados. Para acompanhar, arroz, farinha de mandioca e pimenta.

2 – Tocantins

Fervedouro do Rio Sono/TO (Crédito: blog Vamos Trilhar)

Quem curte uma novela, já deve ter pesquisado um pouco mais sobre lugares e curiosidades do Tocantins, afinal, uma região do estado é cenário da nova novela das nove, transmitida pela Globo, “O Outro Lado do Paraíso”. O destino em questão é o Jalapão, território de 34 mil km² que abrange diversos municípios e áreas de preservação. Cachoeiras e fervedouros – piscinas naturais em que a pressão das águas não permite que as pessoas afundem – estão entre as principais atrações do local.

Não há aeroportos para voos comerciais, então, para chegar à região, tem que ser por vias terrestres. Uma ótima dica é alugar um carro com tração 4×4 e fazer o percurso com tranquilidade. A Timberland tem o calçado ideal para te acompanhar nessa viagem!

Chambari (Crédito: site Receitas sem fronteiras)

Sobre a culinária, embora o estado tenha uma variedade boa de pescados, o nosso destaque vai para o Chambari (também conhecido como Chambaril ou Ossobuco, em outras regiões do país). É um prato de músculo bovino com osso temperado e cozido por horas, servido com arroz e polenta. Já foi considerado o melhor prato regional brasileiro. Se você é daqueles que gostam de experimentar coisas novas, aí vai um desafio: muitas pessoas comem Chambari no café da manhã!

 3 – Rio Grande do Norte

As belezas naturais também são um grande atrativo neste estado. É possível praticar mergulho, passear de buggy e até ver golfinhos na Praia da Pipa. Sem contar que as fotos das redes sociais poderão ser atualizadas com sucesso, já que, para todos os lugares que se olha, se encontram cenários deslumbrantes.

Paçoca de carne seca (Crédito: site Rapadura Nativa)

Para aproveitar todas as maravilhas deste lugar e estar bem alimentado, você pode optar por comer paçoca. É isso mesmo que você leu, paçoca, mas não é a que você provavelmente está pensando. No Rio Grande do Norte, paçoca é a carne de sol (ou carne seca) temperada e triturada com farinha de mandioca, um prato delicioso e típico dos potiguares. Para quem está se perguntando, aquele doce à base de amendoim ao qual nos referimos como paçoca também existe lá, mas com o nome de paçoquinha.

4 – Espírito Santo

O estado possui 73 ilhas, sendo uma delas a sua capital, Vitória. Entre suas atrações, estão trilhas, cascatas, piscinas naturais, monumentos, parques e dunas. A extensa orla se mistura com as regiões urbanizadas de maneira harmoniosa e formam uma paisagem de encher os olhos!

Moqueca capixaba (Crédito: Luciano Secchin)

E sabe o que mais chama atenção? A famosa moqueca capixaba. Quem já comeu, sabe do que estamos falando, e quem ainda não comeu, não faz ideia do que está perdendo. O prato, que pode ser encontrado em todo o estado, é mais leve do que a moqueca baiana, por não levar óleo de dendê, mas igualmente saboroso. É servido bem quente e na panela de barro, seguindo a tradição de mais de 400 anos e conferindo ainda mais charme à prática gastronômica.

5 – Paraná

Cataratas do Iguaçu (Crédito: Rodrigo Soldon)

Visitar as Cataratas do Iguaçu é quase que obrigatório quando se vai ao Paraná. Dica quente: faça o passeio de helicóptero pela região! A experiência de observar 275 quedas d’água de cima é incrível e tornará a sua viagem inesquecível. Outros passeios que valem a pena: Jardim Botânico, viagem de trem até Morretes e observar a vista do Farol das Conchas.

Barreado paranaense (Crédito: Google)

Sobre as comidas típicas, embora o churrasco, o pinhão e o boi no rolete sejam realmente divinos, hoje vamos falar de uma culinária que foi originada em Portugal, há mais de 300 anos, mas foi trazida ao Brasil no século XVIII e, desde então, é feita com maestria pelos paranaenses, se tornando o prato mais tradicional do estado. Estamos falando do barreado, que consiste em um ou mais tipos de carnes bovinas magras, cozidas por, aproximadamente, 20 horas, até desmanchar. É servido com farinha de mandioca, arroz e banana da terra.

O que achou das nossas dicas? Conhece paraísos escondidos no nosso Brasil que tenham comidas incríveis? Comente aqui ou nas nossas redes sociais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.