Viajar, comer e explorar! Parte 3

Viajar, comer e explorar! Parte 3

COMPARTILHE
/ 5716 0

Já falamos aqui no blog sobre destinos internacionais e seus restaurantes e sobre as delícias da mesa brasileira, de norte a sul. Agora, a série sobre destinos gastronômicos e suas curiosidades chega ao fim, falando de um dos lugares mais visitados por turistas na Europa e que oferece uma culinária ímpar e muito apreciada pelos brasileiros: a Itália.

Nem só de massa, café e gelato vivem os mais de 60 milhões de italianos, tampouco apenas com pontos turísticos se conta a história de milhares de anos deste país. E aí, topa conhecer um pouco mais sobre os lugares e a cucina italiana? Então, vamos começar:

1 – Bistecca alla fiorentina

Um corte bem espesso de filé bovino com osso, temperado com azeite, pimentas moídas e ervas e assado sob brasas de carvão. A Bistecca alla fiorentina já era servida séculos atrás, de maneira farta, à toda a população de Florença, sempre no dia 10 de agosto, na comemoração da festa de São Lourenço (um mártir católico considerado o padroeiro dos Diáconos). Um fato curioso é que os ingleses iam até a região para participar da festa e sempre pediam pelo “beefsteak”, que foi italianizado para “bistecca”, dando nome ao prato. É servido com rodelas de limão e favas toscanas e pode ser acompanhado de vinho Chianti.

Bistecca ala fiorentina (Crédito: Marco Mayer)

Este prato é encontrado em todo o país, mas especialmente na bela Toscana, umas das maiores regiões da Itália – tanto territorialmente quanto de população –, e que exatamente por isso oferece tantas opções para conhecer e saborear. E por que essa bisteca é tão especial? Porque ela é feita a partir de uma raça de gado que só tem na Itália, chamada Chianina.

Toscana (Crédito: Maria Aquino)

2 – Cinghiale

Outra iguaria tradicional que pode ser pedida com facilidade na região é Cinghiale ou, como conhecemos aqui no Brasil, carne de Javali. Dois tipos se destacam: o cinghiale arrosto, que é assado e servido com castanhas cozidas e geleia de groselha, e o cinghiale alla cacciatora, javali recheado com fatias de presunto, cebola, cenoura, aipo e salsa, acrescido de vinho branco.

Cinghiale arrosto (Crédito: site ricettaidea.it)

A carne de javali é saborosa e considerada menos calórica que a bovina. Isso se deve ao tipo de alimentação do animal, que se baseia em raízes e tubérculos. Curiosidade: na época do Renascimento (entre os séculos XIV e XVI), especificamente em Siena e Florença, fazia-se o cinghiale dolceforte, prato que levava a carne de javali servida com um molho feito com chocolate derretido na manteiga, passas, pinhões, nozes e vinagre balsâmico.

3 – Roteiro de vinhos

O que não faltam são roteiros de vinhos para conhecer na Itália. As vistas deslumbrantes e os caminhos cheios de histórias são um convite irrecusável para se enveredar pelas rotas e experimentar os mais diversos tipos de vinho – bebida que a Itália sabe fazer muito bem e leva fama mundial.

“Estrada do Vinho Nobre de Montepulciano” (Crédito: Flávia Motta)

Em Montepulciano, por exemplo, além de ter a oportunidade de provar bons vinhos, você encontra os mais belos campos de girassóis, daqueles que só vemos em fotografias de banco de imagens e achamos que é tudo montagem, sabe? Uma viagem incrível que vale a pena ser feita, mas que precisa estar preparado para andar bastante. Então, sapatos e roupas confortáveis são itens primordiais, e a Timberland tem a opção ideal para você!

Campo de girassóis/Toscana (Crédito: blog Mulher Casada Viaja)

4 – Frutos do mar

A Sicília é a maior ilha do Mediterrâneo e, exatamente por isso, oferece muitas opções de pescados e comidas leves. O local é tão gastronômico que, no século XIX, o lema da região era “Beber, comer bem, sem esquecer o prazer”, por conta do modo de vida dos monges que lá habitavam.

Sicília/Itália (Crédito: site belezacriativa.com.br)

A cozinha siciliana preza por ingredientes frescos e abominam temperos e molhos que mudem o sabor da comida. Os frutos do mar são o grande destaque, mas também há muitos legumes, frutas e ótimos queijos. Um dos principais pratos da região, especificamente de Palermo (capital), é Sarde a beccafico, que nada mais e do que sardinha recheada com farinha de rosca, pinhões, anchovas e passas, assadas no forno. São servidas como antepasto ou prato principal, e também podem ser encontradas empanadas e fritas.

Sarde a beccafico (Crédto: blog Stephan’s Gourmet)

5 – Granita

Terminamos a nossa viagem com um doce que tem mais de 2 mil anos de história, sendo que metade desse tempo já está na Itália, levado pelos árabes. Estamos falando da Granita, uma espécie de raspadinha, como conhecemos aqui no Brasil. Preparada com açúcar, água e fruta, a sobremesa conquista os paladares mais exigentes, por ser refrescante e de sabor harmonioso. Os sabores mais comuns são limão, tangerina, jasmim, café, amêndoa, hortelã, morango e amora.

Granitas italianas (Crédito: blog Cosas de Pasta)

A sobremesa pode ser encontrada em diversos lugares da Itália, mas em especial na Ilha de Salina, que fica no sul da Itália (na região da Sicília), famosa pela sua linda paisagem, que contrasta pedras pretas com águas cristalinas, e suas casinhas charmosas de madeira com clima interiorano.

Curtiram as dicas? Comentem abaixo quais locais e comidas da lista mais tiveram vontade de conhecer.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.