Ho’oponopono – a renovação que você precisa para esse fim de ano

Ho’oponopono – a renovação que você precisa para esse fim de ano

COMPARTILHE
/ 41354 0

Espiritualidade (Crédito: Revista Fundamental)

O nome Ho’oponopono pode ser um tanto quanto difícil – e meio engraçado também –, mas a sua complexidade se explica pelos efeitos que a técnica causa nas pessoas. Vale lembrar que não se trata de religiosidade ou “lenda urbana”, mas envolve questões de espiritualidade, renovação de energias e limpeza de alma, que, no mundo em que vivemos, nessa correria do dia a dia, pode fazer um bem que nem imaginamos!

Vamos começar explicando da onde, como e com quem surgiu essa história. A filósofa havaiana Kahuna Morrnah Simeona, na década de 1970, tornou conhecida uma técnica de autocura antiga, chamada Ho’oponopono. Um terapeuta (também havaiano), Ph.D. formado em psicologia pela Universidade de Iowa, ficou mundialmente conhecido por ter curado uma ala de pacientes criminosos que sofriam de distúrbios mentais sem ver, conversar ou receitar qualquer medicamento. Seu nome é Ihaleakala S. Hew Len.

O que uma história tem a ver com a outra? O Dr. Hew Len é um seguidor de Simeona e conta que curou os pacientes aplicando as técnicas disseminadas pela filósofa. Segundo matérias que circulam pela internet, de sites do mundo todo, o terapeuta apenas leu as fichas dos envolvidos, entendeu suas particularidades, problemas e aflições e colocou em prática o tal do Ho’oponopono.

Mandala com mantra Ho’oponopono (Crédito: Site Elo7)

Mas que raio de “mantra” é esse capaz de curar questões internas, inclusive de outras pessoas, sem ao menos ter contato com elas? Bom, a prática parte do princípio de que todos somos um só, que “o mal que há no outro também habita em mim”, portanto, também somos responsáveis pelo o que de mal acontece no mundo, ainda que seja praticado por outra pessoa. Sendo assim, basta olharmos para o nosso interior, identificar os nossos próprios problemas e conflitos e focar na resolução deles.

Isso quer dizer que, primeiro você cuida de você, resolve os seus problemas, alcança a sua paz interna e, depois, consequentemente, há uma troca de boas energias e resoluções, que vai se espalhando até atingir outras pessoas ao seu redor. Então, se cada um fizer a sua parte e cuidar da sua própria alma, essa onda de positivismo se dissemina e “contamina” um grande contingente de pessoas. Legal, né?

E como faz para buscar essas respostas internas? Por meio da repetição de quatro expressões muito simples: “Sinto Muito”, “Me perdoe”, “Eu te amo” e “Sou grato(a)”. Sempre que sentir necessidade, seja por alguma questão sua ou alheia que te desperte um sentimento negativo, você se pergunta o motivo e repete as expressões, em busca de respostas. Não existe uma ordem correta e muito menos há a necessidade de falar todas, você pode dar enfoque naquela que faz mais sentido para você, de acordo com cada situação.

E é claro que todo mundo que fica sabendo sobre essa técnica se faz a mesma pergunta: mas funciona de fato? É aquela velha história, se você estiver disposto a acreditar e estiver aberto a novas experiências, sim, você vai conseguir extrair muita coisa boa dessa prática. Tais como: aprender a perdoar, ter mais noção de responsabilidade, criar empatia, se livrar de relacionamentos destrutivos, melhorar seu desenvolvimento pessoal, aliviar o estresse, controlar a pressão arterial, dentre outras.

Já falamos aqui no blog também sobre Hygge, a “receita” dinamarquesa para uma vida mais feliz.

E aí, vai a aproveitar esse fim de ano para tentar melhorar essas questões internas? Conte para a gente quais outras técnicas você utiliza ou já ouviu falar 🙂

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.