Aprenda a como fazer a mala ideal para qualquer viagem!

Aprenda a como fazer a mala ideal para qualquer viagem!

COMPARTILHE
/ 11968 0

O momento de fazer as malas antes de uma viagem pode ser prazeroso ou penoso. Depende da praticidade e das escolhas. Falar “leve apenas o necessário” é fácil, difícil é avaliar o que é realmente imprescindível.

Em 2012, o blog da Timberland já abordou esse tema, dando algumas dicas preciosas na hora de empacotar seus pertences rumo à tão sonhada viagem. Mas hoje, vamos te trazer um relato real da publicitária Juliana Yanosteac.

Tudo começou em uma viagem à Barcelona. Ela levou uma mochila enorme, cheia de opções de roupas, acessórios e as mais variadas quinquilharias. Teve que andar em alguns momentos da viagem com a mochila, porém, embora tenha voltado com boas lembranças e histórias, chegou ao Brasil com dois nódulos nos ombros.

Foi aí que ela resolveu nunca mais fazer isso. Parar de viajar jamais! O que ela queria era encontrar a mala perfeita. E conseguiu. No relato abaixo, ela conta um pouco sobre a viagem dela para o Vietnã e te dá, em detalhes, quais produtos deve levar e o que comprar durante a viagem.

Essa mesma mala preta de ombro que você está vendo na foto é que foi comigo nessa última viagem ao Vietnã. Também já foi comigo para um verão em Portugal, uma primavera na Alemanha e um inverno na Escócia, Inglaterra e Irlanda.

Lembro-me de chegar no trabalho com a mala antes de uma dessas viagens à Europa – eu sairia do trabalho direto para o aeroporto – e as pessoas que trabalhavam comigo apenas não acreditavam naquilo, o comentário era sempre: ‘Essa é a minha necessaire!’. Tive que abrir a mala várias vezes pra provar que ali tinha de secador de cabelo a sapato.

No geral, eu sempre escolho roupas escuras, porque não suja fácil e dá pra usar mais vezes (claro que, se é verão, fica mais difícil, mas as roupas de verão são menores e dá pra levar mais). Calça jeans é só uma mesmo, que já vai no meu corpo durante a viagem. Se o caso é inverno, eu levo dois casacos grossos, que também já vão comigo fora da mala. Sapato é sempre assim: um chinelo, um tênis e uma sandália (uma que de pra usar dia/noite, ou seja, nada de salto alto). Toalha compacta de secagem rápida (desse tipo que usam em academias), aí é só fazer um rolinho e fica bem pequena.

Ah! No caso, eu faço rolinho com todas as roupas, assim elas cabem em qualquer espacinho da mala. Sempre tem secador (aqueles pequenos de viagem) e chapinha. Shampoo, condicionador, hidratante corporal eu sempre levo nessas embalagens pequenas de viagem, assim não confiscam no aeroporto (como os voos internos são sempre low cost, a mala precisa ser pequena para não ter tarifa extra – esse é um dos fatores pelo qual viajo com mala pequena também. Uma passagem de Dublin para Edimburgo, por exemplo, custa, em média, 12 euros, mas, se você adicionar bagagem, o preço sobe para 32 euros, ou seja, a bagagem é mais cara que o ticket).

Eu fui supereconômica ao fazer minha mala do Vietnã, mas, acredite, eu não usei tudo. A Ásia é muito quente e úmida na maioria dos lugares, então, roupas pesadas, como casacos, podem ser evitados. Vou contar o que levei:

Blusas/camisetas: 10

Calça tecido fino: 1

Calça jeans: 1

Legging: 1

Sapatos: um tênis (estava sempre nos meus pés durante as trocas de cidades), um chinelo e uma sandália baixa

Biquíni: 2

Calcinhas: média de 12 (eu sempre lavo no hotel)

Shorts: 2

Saia: 1

Camisa jeans (caso fizesse um friozinho – que não fez): 1

Toalha: 1

Canga: 1

Macacão: 2

Vestido: 2

Meias: 4

Secador e chapinha

Guarda-chuva (chove bastante no Vietnã nessa época): 1

e-Book reader: 1

Desodorante: 1

Hidratante corporal: 1

Necessaire pequena de maquiagem: 1

Óculos de sol: 2

*Shampoo e condicionador: eu comprava um pequeno em cada lugar que parava.

Com essas roupas fui para cinco cidades, sendo elas: Ho Chi Minh (antiga Saigon). Uma loucura! A cidade tem oito milhões de habitantes, mas, quando você tem que atravessar a rua e tem que encarar aquele mar de motos, parece muito mais! É tipo o transito de SP, mas, basicamente, formado por motos.

Também fui pra Hue (antiga capital), onde você pode ver a antiga cidade Imperial – patrimônio da humanidade, que é uma fortaleza muralhada e palácio. Lá, viveu a família Imperial Nguyen. O bombardeamento norte-americano de 1968, em resposta à tomada de Huế pelos comunistas, arrasou a maior parte da cidade. Alguns dos poucos edifícios que sobreviveram são o Templo Thai Hoa, o Templo Can Thanh, o Mieu e o Hieu Lam Cac (vale a pena ver).

Na sequência, segui para Hoi An, uma cidadezinha linda que, antigamente, era um porto comercial. É conhecida como Cidade das Lanternas, onde a noite fica toda iluminada por lanternas coloridas! Muitas pessoas vão lá para fazer roupas nas oficinas de costura, que fazem tudo em tempo real! Um amigo inglês que estava comigo mandou fazer 10 camisas que ficaram prontas em menos de 24h e, sim, muito bem feitas. 

A última parada foi em Ha Noi e Halong Bay. Hanói, a atual capital, é uma cidade grande e agitada como Ho Chi Minh. Têm turistas por todos os lados. O comércio é forte dia e noite. Há alguns prédios interessantes para visitar e em todo lugar você pode entender e ver coisas sobre a guerra”.

Viu quanta história dá para contar com uma mala pequena? Nas nossas lojas, você pode encontrar malas e mochilas. Além de camisetas, calças jeans, carteiras e, claro, a bota perfeita para ser a sua companheira de aventuras!

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.