Sergipe: pequeno e belo!

Sergipe: pequeno e belo!

COMPARTILHE
/ 1510 0

Com seus 22 mil km2 de área, o Sergipe é o menor estado brasileiro. Mas nesse caso o tamanho (ou a falta dele) não é documento! O pequeno Sergipe guarda muitas atrações bacanas para quem quer aproveitar belas paisagens, cultura e história. E o bom é que com as pequenas distâncias, dá pra conhecer todas rapidinho!

A porta de entrada do estado é a capital Aracaju, construída no encontro do Rio Sergipe com o mar, que surpreendente pelo ótimo planejamento urbano e qualidade de vida. E se você gosta de agito, essa é uma ótima época pra conhecer a cidade, pois em junho rola o Forró Caju, uma grande festa junina com muito forró, que acontece entre os dia 18 e 29 de junho na Praça Hilton Lopes, no centro de Aracaju, atraindo cerca de um milhão de pessoas anualmente. Antes, o forró já rola solto na Rua São João, no bairro Santo Antônio, que reúne atrações mais tradicionais, como grupos de forró pé de serra e concurso de quadrilha.

viagem_sergipe_aracajuVista de Aracaju do outro lado do Rio Sergipe – Fonte

Mas Aracaju tem muito mais atrações. A orla é super bem cuidada e as praias são limpas e tranquilas. A mais famosa e agitada é Atalaia, na costa sul, que tem ciclovia, calçadão com jardins, atrações como o Oceanário e o Centro de Arte e Cultura de Sergipe, onde são vendidos objetos de arte e artesanato típico, além de lagos naturais e equipamentos como pistas de skate, quadras poliesportivas e kartódromo, e os muitos quiosques e restaurantes da chamada “Passarela do caranguejo”, onde o crustáceo, acompanhado de cerveja bem gelada, é a grande atração, e a trilha sonora oficial é o barulho dos martelinhos quebrando a casca para garimpar a carne saborosa das patas do caranguejo.

O centro da cidade fica às margens do Rio Sergipe, e tem calçadões, muitas praças e mercados públicos onde é possível provar quitutes como castanha de caju, queijo coalho, frutas e doces típicos e conferir os três traços marcantes da cultura sergipana: o artesanato, a literatura de cordel e os repentistas. Parte da orla do Rio Sergipe, como no Bairro Industrial, ao norte do centro, tem um calçadão com pista de cooper, ciclovia, parque infantil, bares e restaurantes com vista para os belos coqueirais da Ilha de Santa Luzia. Ao sul, o calçadão da 13 de Julho também atrai os locais para praticar cooper e caminhada e os turistas para observar a paisagem do encontro do Rio Sergipe com o mar no Mirante. Outro bom ponto para curtir a paisagem de Aracaju do alto é na Colina de Santo Antônio, que tem a igreja de mesmo nome.

viagem_sergipe_sacoPraia do Saco – Fonte

Mas o Sergipe guarda muitos outros segredos além da capital! Em termos de praia, 70 quilômetros ao sul de Aracaju fica a Praia do Saco, que com suas águas verdes e tranquilas, dunas e coqueiros, é considerada a mais bonita do estado. O litoral norte do Sergipe também guarda seus encantos, como a Praia de Pirambu, que abriga a primeira base do Projeto Tamar, e a Praia da Ponta dos Mangues, com boas ondas para surfe. O ponto final é a foz do majestoso Rio São Francisco, que separa os estados do Sergipe e Alagoas.

viagem_sergipe_tamarPequenas tartarugas marinhas na Praia de Pirambu – Fonte

E o Rio São Francisco proporciona algumas das paisagens mais deslumbrantes do estado de Sergipe. A 213 quilômetros de Aracaju, próximo à cidade de Canindé do São Francisco, em pleno sertão sergipano, fica o cânion do Xingó, o maior cânion navegável do mundo. O cânion foi formado pela barragem da usina hidroelétrica do Xingó, que represou as águas do São Francisco, criando visuais incríveis da água esverdeada serpenteando entre paredões rochosos avermelhados que chegam a 50 metros de altura. Diversas empresas fazem passeios de lancha e catamarã pelo cânion, com paradas para mergulho, saindo do dique 2 do lago de Xingó. Confira a matéria do UOL Viagem com tudo que você precisa saber para conhecer esse lugar inesquecível.

viagem_sergipe_xingoCânion do Xingó – Fonte

Também vale reservar um tempinho para conhecer as cidades históricas do estado, como São Cristóvão, a antiga capital, cujo centro histórico foi tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, e tem como principal atração o Museu de Arte Sacra, e Laranjeiras. Além das construções coloniais, essas cidades sediam belas festas populares e celebrações religiosas, como a procissão do fogaréu, a chegança, a cavalhada e o pastoril.

viagem_sergipe_sao cristovaoPraça São Francisco, em São Cristóvão – Fonte

Você já conhece o Sergipe? Quais outros segredos imperdíveis o estado guarda? Conta pra gente nos comentários!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.